O Começo no Recomeço (1ª Dica)

Não sou propriamente um leitor de livros infanto-juvenis ou jovem-adulto e posso estar equivocado, mas me parece que o forte crescimento na literatura jovem fez com que os livros escritos em ordem cronológica se tornassem a maioria, novamente; tratemos do começo de um livro.

O primeiro ponto para começarmos um livro não é ter uma história, mas sim um tema. A partir deste tema a história vai ser desenhada em nossa inspiração e poderemos contá-la. É muito comum a história mudar completamente durante o tempo gasto na árdua tarefa de escrever um livro ou texto, por este motivo alguns pontos são mais fundamentais que outros. Voltando ao princípio do artigo, contar uma história de modo cronológico já foi considerado fora de moda e de pouco apelo popular. Nem muitos anos atrás os livros, muitos, passaram a ter início pelo final da história, ou por algum capítulo próximo ao final… Vou contar um segredo: a ordem como a história é contada tem pouca importância.

Vocês podem se estar perguntando: o que tem importância?

O que importa é como ludibriar, no bom sentido, o leitor.

Pessoalmente gosto de adaptar a ideia que se firmou no século passado de logo no início apresentar algo atrativo para o leitor. O começo do livro deve prender a atenção e cativar. Se o livro for contado de modo cronológico, o começo da história deve ser um ponto marcante. O começo em um recomeço é o ideal.

Citando Apollo XIII, o filme que conta a história do fracasso da expedição à Lua, o começo da história é um ponto anterior ainda mais importante: a chegada da Apollo XI à Lua. O roteiro poderia ter começado diretamente com a viagem, já que este é o tema principal, mas sabiamente usou um ponto histórico anterior.

O começo em um recomeço é aquele momento onde tudo recomeça.

Isso acontece muitas vezes em nossas vidas, e todos reconhecem quando; porém, a origem do quando é impossível de determinar, porque mesmo antes de nascermos o nosso destino vem sendo moldado pelas decisões dos nossos pais, políticos, familiares, vizinhos etc. O escritor precisa escolher o recomeço preferido para começar a história e, quando escolher, use-o. Acho um pouco cansativo quando um escritor gasta algumas páginas para chegar ao ponto que ele quer começar o livro. Se o começo do livro é o dia que o personagem principal aprende a andar de bicicleta, não comece com ele acordando. Lembre-se de alguns começos marcantes, como dos livros A Metamorfose, em que Gregor Samsa já acorda transformado em inseto, ou Crônica de uma Morta Anunciada, em que Nassar acorda porque o matarão naquele dia. Ou pense nos livros que começam com uma frase chamativa, um parágrafo demolidor… Minha ficção científica AEcM12 inicia assim: “Cerca de novecentos homens estão na fila…”. Eu achei este começo pouco firme e mudei para: “E todos os homens poderão realizar o maior dos desejos: possuir as mulheres que quiserem.”. Este lema propagandístico estampa o grande painel adiante à entrada […] onde cerca de novecentos homens…”

Força e firmeza, um início atrativo, uma frase marcante e um ponto do tempo fundamental para a história: eis os ingredientes para se começar um livro.

Espero que tenha gostado, publicarei aos poucos mais dicas.

Dicas P/ Jovens Escritores (I)
Classificado como:                    

Uma opinião sobre “Dicas P/ Jovens Escritores (I)

  • Creio que muitas das vezes é importante sim começarmos em pontos diferentes da historia. Cativar e deixar o leitor curioso é obrigatorio, na maioria das vezes, principalmente se você está começando… Em meu livro começei com o meu personagem principal alucinando, podemos dizer q era os ultimos momentos dele…. Agora é esperar a opiniao dos leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *